domingo, abril 10, 2011

Grande Momento de Poesia na Incrível


O recital poético, "Contribuição da Poesia na Revolução de Abril", do professor Alexandre Castanheira, de ontem à tarde, no Salão de Festas da Incrível Almadense, foi mais que um grande momento de poesia, foi a exaltação da Liberdade.

Quando se tem a qualidade de declamador de Alexandre Castanheira, ainda fica mais vincado o poder das palavras dos muitos poetas que foram surgindo no recital (claro que senti as palavras de Zeca Afonso, Sophia e a Ary dos Santos de uma forma especial).

Quem assistiu a este brilhante espectáculo percebeu a razão dos políticos terem tanto medo dos poetas...

11 comentários:

Maria disse...

Alguns políticos, Luís. Alguns...

Beijinho ;)

Maria disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Cris Caetano disse...

Mas onde em dia, muitos poetas andam adormecidos, ou os políticos ainda os temeriam...

Beijos, Luis

George Sand disse...

Discordo Luís: os poetas e os políticos sempre se deram bem. Pelo menos cá em casa. E o Ary era o exemplo vivo de um poeta que tinha amigos de todos os quadrantes politicos. Quem o conheceu bem, sabe disso. George Sand conheceu, porque também é Ary. Obrigado por recordar aqui o meu tio.

Luis Eme disse...

eu diria que hoje se dá pouca atenção aos poetas, Cris, principalmente os não políticos.

Luis Eme disse...

mas nunca deixou de ser incómodo, George, nem nunca escondeu a sua predilecção pelo PCP.

Luis Eme disse...

sim, Maria, alguns.

a maioria é tão "básica" que nem chega lá...

George Sand disse...

Luís,

O Ary era do PCP. Mas ficaria surpreendido com os nomes de muitas pessoas amigas. Isso é saudavel e é o que falta hoje na política

Luis Eme disse...

mas esse é o comportamento que devia ser normal, sermos amigos das pessoas pelo que elas são e não pela sua "cor partidária".

isso só eleva o Ari como ser humano, George.

momo disse...

te la regalo con muito afecto


http://navegandopormisorillas.blogspot.com/2009/10/ary-dos-santos.html

Luis Eme disse...

és uma querida, Momo.