sábado, dezembro 12, 2009

Uma Palavra: Perplexão

É a palavra que me ocorre, perplexão, pela presença do Município na inauguração do busto que presta homenagem ao cardeal Cerejeira, próximo do monumento ao Cristo Rei de Almada.

Sei que a igreja homenageia quem quer, mas não deixo de considerar ofensivo para o povo de Almada a colocação deste busto, no nosso concelho. A história recente de Almada, povoada de inúmeras jornadas de luta antifascista e de centenas de vitimas deste regime miserável, merecia mais respeito, pelo menos de quem nos governa e se assume como uma força política de esquerda.
O Cardeal Cerejeira, amigo intimo de Salazar desde os tempos de juventude passados em Coimbra, também foi um dos ideólogos do Estado Novo, transformando a igreja católica num dos sustentáculos da ditadura salazarista. E nunca se coibiu de perseguir quem no interior da igreja (e também no exterior...) erguia a palavra contra o regime totalitário salazarista, na defesa da liberdade e dignidade do povo português, como foram os casos do bispo do Porto, Dom António Gomes ou do padre Felicidade Alves, pároco de Belém, entre tantos exemplos de vitimas de perseguição e repressão perpetuada pela PIDE.
Não podemos nem devemos apagar a memória.
A única coisa que me dá alguma satisfação, é o facto do monumento ser uma nódoa artística...

9 comentários:

Maria disse...

E eu juntaria outra: perplexidade.
Há 'coisas' que nem a nível institucional têm que ser suportadas. Não entendo...

Beijinho, Luís

Observador disse...

Inadmissível!!!
Mas não estamos nós, almadenses, habituados a que esta gente, que se diz defensora dos direitos do povo, façam os maiores dislates?
Cometeu-se, neste caso, uma real ofensa à democracia, a todos nós. Ou quase.
A obra é, de facto, uma nódoa artística. Mas está lá. E isso é muito grave.

CAP CRÉUS disse...

Não é mesmo nada bonito nem artistico :-)

Rosa dos Ventos disse...

Sem palavras!

Abraço

Luis Eme disse...

nem eu, Maria...

nem falei com alguns amigos comunistas (que foram prisioneiros antifascistas), sobre o assunto, para não os incomodar...

Luis Eme disse...

é uma ofensa à democracia e à liberdade, coisas que sempre incomodaram o senhor cardeal, Observador...

Luis Eme disse...

nada mesmo, Cap...

Luis Eme disse...

enfim, Rosa.

coisas que os poderes tecem...

AMV disse...

Coisa nojenta que haveriam de arranjar para colocar na tua terra, Luís. Uma vergonha mesmo.

Abraço e bom ano!

António